História do Grupo Espírita Irmão Fêgo

Texto: Renilson Lima

Grupo Espírita Irmão Fêgo, pioneiro no Espiritismo de Sergipe.

Pelos idos de 1918, na residência do Sr. Basílio Peralva, um estudioso da Doutrina Espírita, surgiu um grupo, mais tarde registrado oficialmente, com o nome de Grupo Espírita Humildade.

Após o desencarne do Sr. Basilio Peralva, o Sr. Elphêgo Nazário Gomes, humilde operário da Viação Leste Brasileira, assume a direção do grupo, tornando-se conhecido pela caridade com que atendia a todos aqueles que buscavam as palavras do evangelho, e por estes era carinhosamente chamado de “Irmão Fêgo”. Com seu sublime trabalho, o Irmão Fêgo renovava nos corações sofridos, a esperança e a fé.

Elphêgo Nazário traz o Grupo Espírita Humildade à porta de sua residência, no bairro Aribé, hoje Siqueira Campos, fazendo cultos espíritas regulares, aumentando a cada dia o fluxo de pessoas em torno desse grande médium, cuja doação de passes ou de água fluidificada tinha poder curativo.

Em julho de 1937, falece o Sr. Elphêgo Nazário, e o grupo passa a ser dirigido pelo Sr. Lívio Pereira. A partir de então, o Grupo Espírita Humildade, passa a denominar-se Grupo Espírita Irmão Fêgo, em homenagem ao grande servidor da seara de Jesus.

O Sr. Lívio Pereira, que se destaca, pelo incentivo ao estudo e conhecimento das obras kardequianas, sonha com a realização de um albergue, para assistir aos desabrigados. Sonho este, realizado após o seu retorno à Patria Espiritual, pelo Sr. Daniel Monteiro de Jesus, então presidente da instituição. Esta obra teve continuidade na gestão do Sr. Milton de Oliveira e posteriormente com o dedicado confrade, Antônio Monteiro de Jesus, a quem devemos relatos dessa instituição.

Em 1962, assume a direção da instituição o Sr. Sílvio Santos o qual aumentou a capacidade de realizações e estudos de todos os co-participantes.

Com o desencarne do Sr. Sílvio, a presidência da Associação Lívio Pereira é assumida pelo Sr. Ilton Ventura que, como filho legítimo da Associação, continuou a obra um dia germinada na casa de Basílio Peralva, onde lutou, apesar de todas as dificuldades para mantê-la.

A Associação Lívio Pereira foi recentemente presidida pelo Sr. Manoel Dias, que tem promovido a reestruturação e recuperação material e burocrática da instituição, mas sem perder o foco da origem assistencial do trabalho.

Atualmente a instituição é presidida por Manoel Dias, tendo como vice presidente Luzi Mary Paixão.

Desenvolvido pela PenseON